Tomografia Computadorizada Volumétrica

(Cone Beam)

newtom5[1]

Tomografia Computadorizada Volumétrica

(Cone Beam)

A Tomografia Computadorizada Volumétrica de Feixe Cônico é uma técnica revolucionária de obtenção de imagem que utiliza um feixe cônico de radiação (Cone Beam) associado a um receptor de imagens . Nesta técnica, o conjunto fonte de raios X e receptor de imagens gira 360º uma única vez em torno da região de interesse. Durante este giro, múltiplas projeções em ângulos diferentes são obtidas são enviadas ao computador. Essas projeções contêm toda a informação necessária para compor a matriz da imagem em 3D. Após a captação da imagem, o paciente pode ser liberado, visto que toda a informação necessária para gerar as imagens de interesse estão contidas na imagem matriz, que por sua vez fica armazenada nos nossos computadores. Cortes nos três planos (axiais, coronais e sagitais) do paciente podem então ser obtidos a partir desta imagem tridimensional. É possível também obter reconstruções panorâmicas e cefalométricas e reconstruções em 3D. As imagens podem ser fornecidas em filmes, papel colorido e em CD (arquivos DICOM, JPG, PDF ou Dentalslice).

Por ser um tomógrafo dedicado exclusivamente para a área dento-maxilo-facial é possível observar pelas variações de tons de cinza (6 a14 bites dependendo do equipamento) os tecidos dentários que compõem o órgão dental, o espaço periodontal, a lâmina dura, a câmara pulpar, a cortical óssea compacta e a medular. Ou seja, a tecnologia trouxe muito mais detalhe em contraste e densidade (detalhamento).

Características do Tomógrafo Computadorizado Volumétrico Cone Beam:

Sensor FOV de 6 cm a 13 cm (dependendo da necessidade da área a ser analisada), faz com que o paciente seja incidido somente na área solicitada.

Feixe cônico 17 cm de diâmetro de 0,4 até 0,12 Voxels (menor resolução) em espessura de cortes. O que permitem reconstruções multiplanares RMP e reconstruções em 3D com renderização otimizada podendo ser segmentada em todos os planos e com extrema facilidade de visualização.

Os cortes transversais são em tamanho real 1:1.

A dose de radiação emitida é 1/6 menor que de uma tomografia computadorizada convencional. (Diversos estudos demonstram a baixa dose de radiação da Tomografia Computadorizada Volumétrica Cone Beam (CBTC), quando comparada a outros tomógrafos, ou ainda às telerradiografias e panorâmicas tão utilizadas em nosso meio). (Capelozza Filho, 2005).

O tempo de médio de aquisição é de 30 segundos, tempo imuito pequeno quando comparado com outros tomógrafos.

Tomada em única rotação (360º) da fonte emissora de RX.

Captação da imagem com diminuição de artefatos (ruídos) metálicos, o qual não é possível em tomógrafos computadorizados convencionais. Conseqüentemente permite a presença de metais (restauração, prótese, núcleo, aparelho ortodôntico) na tomada.

As aplicações das tomografias são inerentes a diversas especialidades tais como:
Implantodontia
Ortodontia
Cirurgia Buco Maxilo Facial
Pediatria
Endodontia
DTM
Periodontia

cone001[1]
pc_cone